PRM tem prestado um mau serviço nas campanhas eleitorais

0
46
O encontro que teve a duração de 4 horas de tempo juntou na mesma sala mais de 20 jornalistas oriundos de diversos órgãos de comunicação social.
O encontro que teve a duração de 4 horas de tempo juntou na mesma sala mais de 20 jornalistas oriundos de diversos órgãos de comunicação social.

Jornalistas baseados na cidade de Quelimane, província da Zambézia estiveram reunidos na  sexta-feira passada em debate sobre a nova lei aprovada pela Assembleia da Republica e promulgada recentemente pelo Chefe do Estado moçambicano, Filipe Nyusi e que vai regular à realização das quintas eleições autárquicas de 10 Outubro próximo.

 O encontro que teve a duração de 4 horas de tempo juntou na mesma sala mais de 20 jornalistas oriundos de diversos órgãos de comunicação social.

 Foi esmiuçada a lei 6/2018 que aprova o quadro jurídico-legal para a implantação das autarquias locais em Moçambique. Os participantes entendem que o debate foi frutífero na medida em que serviu para dissipar equívocos e dominar o novo instrumento legal.

Sérgio Zacarias Tomo, editor do Bons Sinais, disse ao Txopela de que “o domínio da lei significa cumulativamente, estar preparado para proceder uma cobertura responsável e imparcial no período da campanha e votação ”conquanto adverte aos órgãos de administração do processo eleitoral para que não coartem as liberdades dos profissionais de comunicação social.

O mesmo entendimento é partilhado pelo jornalista e autoridades policiais tem prestado um mau serviço nos períodos de campanhas eleitorais, assistimos nos últimos escrutínios, repórteres que foram arrancados equipamentos de trabalho e até seviciados, não gostariam que tais episódios voltassem a repetir-se” — advoga.

 Para o jornalista é importante que todos os profissionais de comunicação social que estarão envolvidos na cobertura estejam devidamente munidos de conhecimentos profundos sobre a legislação que vai regular a realização das quintas eleições autárquicas como forma de responder cabalmente a missão de informação de forma livre e independente cumprimento com os ditames que a lei moçambicana exige.

Jornal Txopela

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here