Moçambique “embrulhado” no pesado fardo da dívida pública

Moçambique é o país da África Subsahariana com a maior percentagem da dívida em moeda estrangeira

A agência de notação de risco Standard & Poors considera que Moçambique é o país da África Subsahariana com a maior percentagem da dívida em moeda estrangeira, cerca de 84 por cento, devido sobretudo à emissão do Eurobond de 2016 e aos empréstimos das empresas públicas.

Especialistas ouvidos pela VOA dizem que o facto de maior parte da dívida pública de Moçambique estar em dólares coloca sob pressão as divisas nacionais e torna mais pesado o fardo dessa dívida, sobretudo quando muitos dos empréstimos são aplicados em investimentos que não contribuem para o crescimento do país.

O economista Roberto Tibana destaca o facto de o comunicado do Comité de Política Monetária do Banco de Moçambique, lido esta segunda-feira, 26 pelo governador, Rogério Zandamela, reconhecer esta situação, incluindo a volatilidade no mercado cambial, devido a variações das grandes moedas.

Roberto Tibana explicou que “para além da pressão sobre as divisas, a composição da dívida em moeda externa também vai ter essas implicações na volatilidade. Quando eles quiserem pagar essa dívida, eles têm que converter meticais em moeda estrangeira, têm que comprar dólares“.

“Nós sabemos que a nossa balança comercial não é muito boa, e uma pressão muito pequena sobre as divisas para fazer o serviço da dívida pode agravar essa volatilidade. Portanto, não é uma boa coisa quando um país é fraco na capacidade de gerar divisas ter a sua dívida em moeda estrangeira”, realçou Tibana.

Por seu turno, o economista Constantino Marrengula, considera que estando 84 por cento da dívida denominada em moeda estrangeira significa que numa situação em que o dólar, euro ou rand se valorizam, a dívida também aumenta, assim como fica exacerbado o serviço dessa dívida.

E isso faz com que o fardo da dívida seja cada vez mais pesado“, enfatizou aquele economista.

VOA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *