A antiga presidente da Liga dos Direitos Humanos (LDH) de Moçambique foi acusada de desvio de fundos pela direcção interina do
ÚLTIMA HORA

Alice Mabota reage perante a acusação de desvio de fundos

Alice Mabota diz que tudo não passa de má-fé

A antiga presidente da Liga dos Direitos Humanos (LDH) de Moçambique foi acusada de desvio de fundos pela direcção interina do organização que apresentou queixa ao Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC).

A notícia, avançada pelo jornal Savana, diz que a queixa sustenta que a antiga presidente da LDH ordenou à responsável do Departamento Financeiro, Teresa de Sousa, o pagamento de rendas alegadamente fictícias por uma casa do seu marido, Marcolino Frederico Mahumane, entre Agosto de 2013 e Julho de 2014.

Na altura a Liga já tinha escritórios próprios e o esquema custou à organização 14 mil dólares

Ainda de acordo com a mesma fonte, Alice Mabota terá autorizado o pagamento de 10 mil dólares em salários ao marido, que não trabalhava na LDH

Antes, em 2008,ainda segundo a acusação, Alice Mabota e Teresa de Sousa apropriaram-se de cerca de 1,6 milhões de meticais da venda (cerca de 24 mil dólares dólares) de um imóvel que haviam adquirido sob o pretexto de que era para a LDH.

A queixa cita ainda que Mabota vendeu outro imóvel da organização, no distrito de Marracuene, província de Maputo, doado pela ONG suíça Helvetas, pelo qual, antes da venda, Mabota e Sousa terão cobrado rendas indevidas no valor total de 540 mil meticais (7.400 dólares)

Todo o património da Liga foi devidamente registado e existe“, disse a antiga presidente da LDH de Moçambique que catalogou as acusações de má-fé.

VOA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *