FMI diz que persistem lacunas de informação no relatório da Kroll

O Fundo Monetário Internacional (FMI) diz que persistem lacunas de informação no relatório divulgado hoje pela Procuradoria-geral da República (PGR). Já a Suécia, financiadora da auditoria, acolhe com satisfação a publicação dos documentos e diz que vão servir para responsabilização.

No comunicado de imprensa enviado à nossa redacção, o FMI começa por apontar que a publicação do relatório de auditoria constitui um passo importante para maior transparência relativamente aos empréstimos, que totalizam 2 mil milhões de dólares.

Mas para o organismo mundial ainda falta informação.

Persistem lacunas de informação, em particular no que respeita ao uso dos fundos dos empréstimos. Uma missão do corpo técnico do FMI visitará Moçambique de 10 à 19 de Julho para discutir os resultados da auditoria com as autoridades e possíveis medidas de seguimento, incluindo trabalhar com as autoridades para abordar preocupações relacionadas com a gestão de recursos públicos. A missão também aproveitará a visita à Maputo para reavaliar a situação macroeconómica e discutir as prioridades das autoridades relativas ao Orçamento de 2018”, lê-se no comunicado.

Já a embaixada da Suécia, financiadora da auditoria, vê no trabalho da Kroll elementos para responsabilização.

O relatório de auditoria internacional e independente proporcionará factos e transparência a respeito dos empréstimos contraídos pela Ematum SA, Proindicus SA e MAM SA, e servirá como contributo para o processo de responsabilização liderado pela Procuradoria-Geral da República de Moçambique”, diz a Embaixada da Suécia em comunicado.

O País

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *