Membros da AM de Quelimane marcam greve para exigir dinheiro ao edil

Membros da Assembleia Municipal de Quelimane, na Zambézia, estão a convocar-se, informalmente, para uma greve, nesta quarta-feira, para alegadamente reclamarem contra atrasos no pagamento de subsídios e do décimo terceiro salário, antes das festividades do natal e do fim do ano. Uma mensagem de texto anônima, que circula de membro em membro, a que “Carta” teve acesso, indica que a greve, com início às 5 horas da manhã de hoje, culminará com o encerramento de todos os sectores que funcionam no edifício do Conselho Municipal.

A mensagem do órgão legislativo, presidido por Domingos Albuquerque, do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), partido que Manuel de Araújo, o atual edil, abandonou, tranquiliza os membros relativamente à sua proteção pelas Forças de Defesa e Segurança (FDS), durante uma manifestação sem datas previstas para o seu término. “Estarão presente todos os órgãos de comunicação social da praça. Demos conhecimento ao Governador Provincial, à Tutela Administrativa e haverá uma proteção policial da PRM da Zambézia. Agradecemos a presença de todos, unidos para uma celebração festiva Feliz”, refere uma das passagens da mensagem.

Entretanto, Manuel de Araújo, edil reeleito para o terceiro mandato no Município de Quelimane, já reagiu às mensagens, pela mesma via. Araújo disse que não vai pagar subsídios e o décimo terceiro salário, antes que os considerados mandatários dos munícipes realizem uma sessão do órgão para a aprovação do Orçamento Retificativo de 2018, exigência que não é acatada. “Um dos assuntos a tratar numa das sessões é o Orçamento Retificativo. Sem ele, ao assinar os salários deles (Membros da Assembleia Municipal), eu estaria a violar a Lei, por ter ultrapassado os limites orçamentais. A escolha é deles…”, afirma o edil, em mensagem.

(Sitoi Lutxeque – Carta)

Loading...

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *