O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, tem três semanas para manifestar interesse em se recensear, no âmbito do IV censo geral da população e habitação, que decorreu de 1 a 15 de Agosto corrente.
Politica SOCIEDADE

Dhlakama tem 19 dias para mostrar interesse em se recensear

Dhlakama não foi recenseado durante os dias do censo pelo facto de estar num local aparentemente desconhecido

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, tem três semanas para manifestar interesse em se recensear, no âmbito do IV censo geral da população e habitação, que decorreu de 1 a 15 de Agosto corrente. Dhlakama não foi recenseado durante os dias do censo, pelo facto de estar num local aparentemente desconhecido, algures na serra da Gorongosa, em Sofala.

Refira-se que, no fim do processo do recenseamento, o Instituto Nacional de Estatística (INE) assegurou, de acordo com a AIM, que caso a Renamo manifestasse interesse e criasse condições (particularmente de segurança), uma brigada do INE poderia deslocar-se ao local em que se encontra Dhlakama, para assegurar que ele também conste das estatísticas oficiais da população.

É nesse âmbito que o INE diz que ainda há tempo e abertura para recensear o líder da Renamo. Entretanto, adverte o INE, os prazos de registo estão a ficar cada vez mais apertados, tendo em conta que o registo de Dhlakama ou de qualquer outra pessoa que tenha apresentado justificação razoável não poderá ser feito depois do início do inquérito de cobertura, actividade que inicia a 16 de Setembro, portanto, daqui a três semanas, com a duração de 15 dias, tal como aconteceu com o processo de registo.

De acordo com o INE, a Renamo tem esta indicação, daí esperar que, nos próximos dias, haja uma reacção concreta em relação a este assunto. “Ele tem conhecimento de que decorre este processo. É um cidadão nacional e vive neste território. O nosso desejo é que ele seja incorporado no processo, mas ainda não recebemos nenhuma comunicação do seu partido”, disse o porta-voz do INE, Cirilo Tembe, citado pela AIM, vincando, porém, que “quando chegar a vez do inquérito de cobertura, não haverá mais nada a fazer. Teremos mesmo que fechar o processo de recolha por definitivo”.

No fecho do registo regular, o INE tinha contabilizado 26 822 464 habitantes, contra uma previsão de 27 128 530. Em relação aos números encontrados, o INE chamou atenção para a necessidade de se compreender que os 26.8 mil milhões de habitantes não correspondem a dados definitivos.

O País

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *