Militares abandonam exército depois do comandante os chamar de cobardes

A noticia é avançada esta segunda-feira pela Carta de Moçambique, que diz tratar-se de dezenas de membros da Unidade de Intervenção Rápida (UIR) que se desvincularam daquela unidade da Polícia, a seguir ao discurso do Comandade de UIR, Francisco Madiquida, na última quarta-feira, na cidade de Pemba.
No discurso em causa, Madiquida terá chamado aos seus subordinados de cobardes e os acusado de falta de comprometimento com a causa da defesa da soberania e do território.
“Se vierem aqui só porque querem emprego para receber e não querem trabalhar, que digam agora. Eu disse, prefiro 10 homens altamente combativos do que 1000 cobardes”, afirmou o Comandante, dirigindo-se so militares, acrescentando: “(…)Vocês próprios não entendem donde começa o sentido de sacrifício (…).

Adicionar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *