A mulher que “pariu” ovos afinal introduziu-os sozinha para ludibriar o marido

A mulher que cometeu a farsa de “parir” ovos é activista de nutrição tendo trabalhado num centro de saúde no distrito de Macossa, província de Manica. A revelação foi feita pelo próprio sogro, Inácio Veremo.

“Eles (nora e filho) vivem e trabalham em Macossa. Ela saiu de lá em Março deste ano para Chimoio e encontrou-se comigo na Beira, em Julho, aquando do meu aniversário.

Quando lhe vi, aparentava estar grávida, pois apresentava uma barriga dilatada. Na ocasião, até chegou a oferecer-me um presente e eu agradeci, para no mês seguinte ouvir que aquela barriga, em vez de bebé, ‘gerou’ ovos. Isto é triste”, lamentou o sogro.

Inácio Veremo explicou que os dois ovos são de galinha e teriam sido comprados a 10 Meticais cada, num mercado formal próximo da residência da falsa parturiente, na localidade de Nharichonga, no distrito de Nhamatanda, em Sofala, e levados por ela ao Centro de Saúde de Chimoio, em Manica.

“A notícia circulou pelo mundo e sujou a família e o país, dizendo- -se que em Chimoio uma jovem ‘nasceu ovos’, enquanto era pura mentira. Ela colocou-os nos seus órgãos genitais. Não foi nenhuma obra de diabo, muito menos de feitiçaria.

Foi um acto propositado, para ludibriar o marido e a nós também”, disse Veremo, visivelmente indignado.

Adicionar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *