Frelimo exige fim de chantagens políticas

Uma reacção as ameaças do coordenador interino do principal partido da oposição que a partir da serra da Gorongosa ameaçou romper as negociações pela paz com o governo por considerar que as eleições autárquicas de 10 de Outubro, foram fraudulentas, num acto levado a cabo pela Frelimo, pela polícia e pelos órgãos eleitorais.

A Frelimo, partido no poder em Moçambique através do seu Porta-voz Caifadine Manasse reagiu as ameaças do coordenador da Comissão política da Renamo que põe em causa os resultados das quintas eleições autárquicas.

Em reacção à comunicação telefónica do coordenador da Comissão Política do principal partido da oposição em Moçambique, Caifadine Manasse afirma que o partido no poder e os seus cabeças de lista venceram no escrutínio de 10 de Outubro em mais de 40 das 53 cidades e vilas autárquicas do país.

“Qualquer pronunciamento, seja de onde vier, se não contribuir para a estabilidade, para a paz que é necessária, naturalmente que é sempre muito mau”, sublinhou Adriano Maleiane, em Bali, na Indonésia, onde participou nos Encontros Anuais do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial.

“Eu tenho que acreditar que o esforço do Governo, em particular do Presidente da República, de manter esta paz, que todos a vão abraçar, independentemente de se estar ou não satisfeito com uma ou outra coisa”, afirmou, preferindo enquadrar a posição do maior partido da oposição, a Renamo, “no contexto da liberdade de expressão”

RFI

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *