Augusta Maíta pede voto no bairro da Munhava

A candidata da Frelimo para Presidente do Conselho Autárquico da cidade da Beira trabalhou hoje no bairro da Munhava-Matope. Acompanhada por membros e simpatizantes do seu partido Maíta percorreu várias ruas do bairro, entrou em várias casas e abordou vendedores do mercado central da Manhuva, para além de interagir com transeuntes com que se encontrava nas ruas.

Alguns dos potenciais eleitores abordados pela cabeça-de-lista não perderam a ocasião para exigir que as promessas eleitorais devem ser cumpridos na íntegra se ela for eleita.

Um dos residentes mostrou sua indignação pelo deficiente saneamento do meio em todo aquele bairro e pelo facto de não existir mecanismos para escoamento da água sempre que chove. Segundo o mesma a situação piorou de há um ano a esta parte devido à construção de armazéns e unidades industriais naquela zona sem que as obras contemplassem os sistema de drenagem das águas e hoje diz que suas residências até são invadidas por cobras e outro tipo de animais indesejáveis.

“Quando chove aqui é escandaloso, alguém trouxe carrada dele de entulho ali para nos atrapalhar, hoje, sinceramente” disse o residente visivelmente agastado. Como resposta a candidata da Frelimo disse “Não podemos reclamar só por reclamar. Reclamar sem ir manifestar essa sua reclamação no boletim de voto, vai continuar a reclamar. Se já recenseou vai resolver esse assunto no dia de votos”.

A candidata prometeu que caso seja eleita irá resolver os principais problemas que afectam os residentes da cidade da Beira até porque segundo ela o Governo Central, liderado pela Frelimo, tem estado a investir no melhoramento das condições de vida dos munícipes da Beira mas precisa ser dado voto de confiança pelos eleitores para continuar de forma directa a trabalhar pelo desenvolvimento da Beira e por isso apelou a atenção dos residentes daquela cidade para não continuar a votar de forma errada “esta festa da capulana e de camisetas é só esta semana, depois de terminar a semana e depois que os resultados vierem a tona o que fica é a realidade dos beirenses. Queremos apelar aos munícipes beirenses que votem com consciência e não com esta festa baseado no que se é dado ou se é prometido hoje, nós tivemos 15 anos de uma governação e achamos que foi tempo suficiente para hoje verificamos efectivamente o que foi feito e o que pode ser feito” disse.

O País

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *