Tribunal condena agentes da PRM envolvidos no assassinato de Matavel a penas de até 24 anos de prisão

Foi lida hoje, 18 de Junho, a sentença dos arguidos recentemente julgados pelo seu envolvimento no caso de assassinato do activista social e observador eleitoral, Anastácio Matavel, em plena campanha eleitoral de 2019.

Conheça as penas atribuídas a cada arguido:

1. Alfredo Macuacuá, comandante da Unidade de Intervenção Rápida, UIR, em Gaza, 24 anos de prisão maior;

2. Tudelo Guirrugo, comandante do Grupo de Operações Especiais, GOE – 24 anos de prisão;

3. Edson Silica, membro da GOE – 24 anos;

4. Euclídio Mapulasse, membro da GOE- 23 anos de prisão;

5. Januário Rungo, Chefe do Estado Maior da UIR -3 anos; e

6. Justino Machanga, da secção de armamento – 2 anos.

6. Ricardo Manganhe, funcionário do Conselho Municipal de Chibuto, proprietário da viatura usada no assassinato, foi absolvido por falta de provas do seu envolvimento no crime.

O Estado moçambicano não foi responsabilizado pela acção macabra dos seus agentes. A juíza argumentou que estes agiram em nome próprio.

Leave a Reply