Tribunal sul-africano chumba pedido de extradição de Manuel Chang para Moçambique

O Tribunal sul-africano de Gauteng anulou a decisão do ex-ministro da Justiça Michael Masutha e chumbou, esta sexta-feira, o pedido de extradição de Manuel Chang para Moçambique.

Analistas moçambicanos divergem quanto a decisão anunciada pelo tribunal de Gauteng de chumbar a extradição de Manuel Chang para Moçambique.

Segundo o comentarista da Rádio Moçambique, António Boene, o facto de se ter chumbado, a extradição já avalizada anteriormente não significa que Moçambique perdeu a causa.

Boene reconhece que o processo retomou a estaca zero, estando agora nas mãos do actual ministro Ronald Lamola.

O comentarista sublinha que actualmente está-se num empate entre Moçambique e Estados Unidos, entretanto para si fazia mais sentido extraditar Chang para Moçambique.

Para António Boene, o ex-Ministro das Finanças poderá responder não só às acusações relativas às dívidas, mas também a outros processos de que é acusado.

Já o jornalista da Agência de Informação de Moçambique, Paul Fauvet, refere que a procuradoria nacional está agora com pouca chance de ver o seu pedido aceite, uma vez que foi o actual ministro da Justiça sul-africano a requer a anulação da decisão ora tomada pelo seu antecessor de mandar Chang para Moçambique.

Paul Fauvet diz que Lamola pode decidir pela extradição de Chang para o Tribunal de Nova York, porque lá é onde maioria dos envolvidos no processo estão a ser ouvidos.

(RM)

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *