Última Hora: Helena Taipo poderá ser detida a qualquer momento

A qualquer momento a antiga embaixadora de Moçambique em Angola, Maria Helena Taipo poderá ser detida, no âmbito do processo 02/GCCC/2017, no qual é acusada de ter recebido dinheiro ilicitamente, por via de transferências bancárias feitas por empresas que celebravam contratos com o Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), em 2014.

Fontes do Dossiers & Factos dão conta que desde ontem a Procuradoria-geral da República está no encalço da antiga dirigente, que à altura dos factos desempenhava a função de Ministra do Trabalho.

Uma equipa da PGR fez-se à casa de Helena Taipo, algures na cidade de Maputo, já com o mandado de captura, mas no momento esta não estava em sua residencia. Os agentes insistiram junto da família para que fossem indicados a sua localização, mas foi debalde.

Entretanto, o Dossiers & Factos sabe que, ontem, Helena Taipo perdeu a sogra, mãe do antigo jogador da selecção nacional, Amade Chababe, cujos restos mortais foram hoje a enterrar.

O Dossiers & Factos acompanha atentamente a evolução deste processo. De acordo com a defesa de Helena Taipo, submetida ao Gabinete Central de Combate à Corupção (GCCC), ao Tribunal Judicial da Cidade de Maputo e outras intancias judiciárias, os referidos pagamentos, que foram canalizados através da sua conta pessoal, eram destinados ao apoio à campanha eleitoral do partido Frelimo e do seu candidato, Filipe Jacinto Nyusi, nas eleições de 2014.

Na altura, a então Ministra do Trabalho era Chefe da Brigada Central de assistência à província de Nampula pelo partido no poder e como tal, uma das suas missões era angariar apoios junto de potenciais parceiros, dentre os quais empresários que canalizavam a ajuda de diversas formas.

FONTE: Redacção/Dossiers & Factos

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *