Polícias querem fazer o povo de burro!, diz Nini Satar

Sobre os assassinatos de Coutinho e Muchanga:

Polícias quer fazer o povo de burro!

Há momentos em que para a Polícia calar é uma opção que se não deve descartar. O politicamente correcto já teve os seus dias. É que com estas atitudes, a Polícia se torna menos credível. Mais suja do que já é.

Esta segunda-feira, o porta-voz da PRM ao nível da cidade de Maputo, Orlando Mudumane, disse que a corporação não confirma que os corpos encontrados sem vida na sexta-feira, em Moamba, província de Maputo, são de José Ali Coutinho e Alfredo Muchanga.

Eu, sinceramente, não esperava outra atitude da nossa Polícia. É de hábito contar estorietas sem nexo. Não foi o mesmo que disse aquando da descoberta de uma vala com corpos sem vida abandonados algures no centro do país? Aliás, a Polícia nunca assumiu nada. Sacode sempre o capote.

O triste nisto é tentar desacreditar o povo moçambicano, fazê-lo de burro, cego, ignorante. E mais: as imagens difundidas na sexta-feira pela STV também não eram reais? Trata-se de imagens de pessoas que assistiram ao que aconteceu. Viram os corpos e puderam os identificar com clareza.Foi o que viram e ouviram.

Não imbecilizem desta forma ao povo moçambicano!

E mais ainda: existe o testemunho dos familiares da duas vítimas. Reconheceram os corpos e realizaram os devidos funerais. Foi tudo farsa?

Posto aqui a certidão de óbito de José Ali Coutinho. Também é falsa? Convenhamos. Em que país estamos?burro

PAUL FAUVET

um lambe-botas do sistema, um crápula chamado Paul Fauvet, que também alinha nestas mentiras. A língua deste senhor deve ter feridas!

E é muito provável que seja até a Procuradoria-Geral da República que requisitou os serviços de Paul Fauvet para limpar-lhe a imagem. Podem ver aqui os comentários por ele escrito no meu post da segunda-feira sobre o assassinato de José Coutinho e Alfredo Muchanga.

No meu post da segunda-feira, sobre o mesmo assunto, Paul Fauvet tentou desacreditar-me e até chama os casos Carlos Cardoso e BCM. A pergunta é: qual é a relação destes casos com o assassinato de Coutinho e Muchanga? Contra factos não há argumentos, é milenar esta máxima e não vai ser o frustrado do Paul Fauvet a desmenti-la. Ele devia se preocupar com a sua língua que até vai perder a sensibilidade por tanto lamber botas de indivíduos que lhe não ligam a mínima. Quem é o Paul Fauvet para ludibriar a opinião pública?

Posto aqui a certidão de óbito de Coutinho, se não é suficiente para provar que ele morreu, então o país não deve passar mais este documento. Não tem utilidade. Confia-se mais numa palavra de um porta-voz da PRM do que em documentos oficiais. Ridículo, nem?

A Procuradoria-Geral da República anunciou ter sido ordenada uma averiguação com vista a apurar as circunstâncias que determinaram a fuga, para posteriores procedimentos legais. Não sei se é verdade. Se é, então anda a passo de camaleão. Ou seja, todos os que forem indicados como culpados serão, de facto, bodes expiatórios. A PGR sabe exactamente o que aconteceu com o Coutinho e Muchanga. Tudo o que diz é para tapar o Sol com a peneira.

Abaixo indivíduos como o Paul Fauvet!

Clique na imagem para conferir a Certidão de Óbito de  José Ali Coutinho.

Nini Satar

Adicionar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *