: PRESIDENTE NYUSI REITERA CONVITE A DHLAKAMA PARA DIÁLOGO ISSO DURANTE A TOMADA DE POSSE DE NOVOS OFICIAS DA FADM


Chefe de Estado, Filipe Nyusi reitera o convite a Renamo e ao líder, Afonso Dhlakama para um diálogo profícuo e ao convívio democrático.
Filipe Nyusi presidiu na qualidade de Comandante-chefe das Forças de Defesa e Segurança a cerimónia de patenteamento de oficiais da Polícia e de cessação e tomada de posse dos comandantes Força Armadas de Defesa de Moçambique.
Hino nacional seguido da revista à guarda de honra a marcar o primeiro momento da cerimónia de patenteamento de oficiais generais da polícia, e da cessação e tomada de posse de comandantes dos ramos das Forças Armadas de Defesa de Moçambique.
Nesta cerimónia 5 oficiais dos polícias foram promovidos a oficiais generais com a patente de adjuntos comissário da corporação.
O Presidente da República, na qualidade de Comandante-chefe das Forças de Defesa e Segurança, presidiu na mesma cerimónia, a cessação e a tomada de posse dos comandantes das FADM.
O Major General, Lázaro Menete cessou as funções de Comandante da Marinha de Guerra de Moçambique. Menete é novo Comandante do Ramo do Exército.
O Major General, Messias Niposso é o homem forte da Forca Aérea, enquanto o Contra Almirante, Eugénio Muatuca é o novo Comandante da Marinha de Guerra de Moçambique. O Chefe do Estado moçambicano nomeou, Eugénio Mussa para o cargo de Comandante do Serviço Cívico de Moçambique e Francisco Mataruca para o cargo de Vice-Comandante do Instituto Superior de Estudos de Defesa Tenente-General Armando Emílo Guebuza.
O Presidente da República falou da responsabilidade que pesa sobre os moçambicanos no contexto da independência, unidade Nacional, e da Paz.
E sobre a paz o chefe de estado disse que o governo não vai poupar esforços para que a paz seja efectiva. 
Disse que o diálogo é a via correta para a busca da paz, condição para o desenvolvimento e convivência harmoniosa entre os moçambicanos.
Filipe Nyusi falou das incursões armadas. Disse que o recurso a arma não deve servir de mecanismo para forçar o governo a consensos inconstitucionais e que ferem os princípios democráticos.
Para Filipe Nyusi o povo não deve servir de refém para se alcançar o poder.
Na ocasião, o Chefe de Estado, Filipe Nyusi, saudou os membros das Forças de Defesa e Segurança e brindou pela paz e pelo desenvolvimento de Moçambique.

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Content Protection by DMCA.com