Bernardo Xerinda é acusado de peculato, crime que terá cometido entre 2003 e 2012, altura em que exerceu funções de embaixador de Moçambique, na Federação Russa. Na acusação