Moçambicanos mortos acusados de “distribuir” coronavírus no Malawi

Acusados de serem vectores do novo coronavírus, dois moçambicanos foram linchados no distrito de Karonga, na República do Malawi.

A informação difundida pela Rádio Moçambique indica que ao todo, eram três moçambicanos que regressavam da República da Tanzânia, onde foram buscar carros encomendados do Japão.

No distrito de Karonga, no Malawi, numa determinada via foram interceptados por um grupo de malfeitores que condicionou a continuação da viagem a aceitação do assalto. As vítimas viram-se obrigadas a colaborar e seguiram com a viagem.

Quilómetros depois, encontraram um outro grupo que se apoderou de todos bens e ordenou para que regressassem. No cumprimento desta ordem dos bandidos, acabaram por ser novamente interceptados pelo primeiro grupo que de imediato conduziu-lhes a casa de um líder comunitário. Ali, a justiça privada teve lugar. Os moçambicanos teriam sido acusados de distribuir coronavírus no Malawi e foram executados. Há indicação de que a terceira vítima conseguiu fugir.

As vítimas foram também acusadas de ser “chupa-sangues”, um boato que já fez várias vítimas mortais naquele país vizinho.

Os restos mortais das duas vítimas já estão na cidade de Lilongwe e a qualquer momento deverão ser transladados à cidade de Tete.

Malawi conta actualmente com quatro casos confirmados de COVID-19.

Loading...

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *