Com medo de voltar para casa: Muchanga refugia-se no Parlamento

O deputado e cabeça – de – lista – da Renamo, António Muchanga, refugiou-se na Assembleia da República por temer da sua integridade física, uma vez que a sua residência no Município da Matola encontra-se cercada de blindados e viaturas militares das Forças de Defesa e Segurança.

 Muchanga contou, esta manhã, que a partir das 16 horas do dia 12 de Outubro apercebeu-se da presença das FDS em blindados na sua zona residência, depois de ter notado presença de agentes da polícia à paisana.

Afirmou que os blindados viravam a 250 metros da entrada da sua casa, facto que achou normal. Só que no dia 15, quando este se encontrava numa missão em Nairobi, toma conhecimento de que os blindados estavam a cercar sua residência.

Os blindados da Unidade de Intervenção Rápida tinham estado no portão da sua casa seis vezes e o camião militar esteve por lá cinco vezes, facto que levou aos seus vizinhos a pedirem para que não voltasse à casa por temer a sua segurança.

“Acabo de regressar de Nairobi, não dormi em casa. Dormi na rua, para garantir a minha integridade física, para hoje reiniciar a minha nobre missão de deputado da Assembleia da República. Por isso estou a chamar atenção à presidente da Assembleia da República e ela está a desprezar-me”, denunciou Muchanga para frisar que “passo desde já a viver aqui até que o Chefe do Governo, que é Comandante das Forças de Defesa e Segurança mande tirar os blindados e responsabilizar a pessoa que os movimentou para lá”.

O deputado e cabeça - de - lista - da Renamo, António Muchanga, refugiou-se na Assembleia da República por temer da sua integridade física
Muchanga de malas

Questionado sobre se os blindados não estariam para lhe garantir segurança, Muchanga respondeu nos seguintes termos: “eu como deputado, se alguém pretende me guarnecer, primeiro tem que falar comigo, até a própria residência do Presidente da República não tem blindado a patrulhar. Será que esse valor começo a ter depois de ganhar as eleições na Matola?”

Magazine Independente

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *