Joaquim Veríssimo defende aplicação das penas e medidas alternativas às penas de prisão como forma de reduzir a superlotação nos estabelecimentos penitenciários em Moçambique. O ministro da justiça