O Governo considerou baixo o risco de o vírus Ébola chegar a Moçambique, garantindo que foi reforçada a vigilância nas fronteiras, principalmente por onde entram cidadãos da República