“A Renamo não instrui os seus quadros a beber uma garrafa de whisky e depois ir a um programa de televisão” – reage o partido

Desde o passado domingo que o deputado António Muchanga, da Renamo, é tema de conversa nas esquinas, transportes públicos e semi-colectivos de passageiros e, sobretudo, nas redes sociais. 
Se, em outras ocasiões, é pelos seus pronunciamentos quase sempre “incendiários” e “vexatórios”, mormente direccionados aos seus “adversários políticos”, desta vez, é pelas piores razões. Foi escorraçado de um programa televisivo, o “Pontos de Vista”, do canal privado STV, devido ao seu avançado estado de embriaguez.
Inúmeras foram as reacções à volta do assunto, sendo a condenação, indignação e repulsa à atitude do deputado do maior partido da oposição do xadrez político nacional o denominador comum. Esta terça-feira, 48 horas depois do deplorável episódio, o partido quebrou o silêncio. E não fez diferente dos outros segmentos da sociedade moçambicana. Através do seu respectivo porta-voz e também deputado da Assembleia da República (AR), José Manteigas, disse que é uma atitude que “envergonha o partido”.
O partido Renamo, para além de considerar vergonhosa a atitude do seu membro sénior, disse não ser cultura no seio daquela organização político-partidária instruir os seus membros e representantes a ingerir bebidas alcoólicas e, seguidamente, participar em debates, sejam eles televisivos, radiofónicos ou em qualquer outro tipo evento.
José Manteigas avançou que o partido envia sim seus representantes para os mais variados programas (de rádio ou televisão), mas a postura ou atitude é mesmo uma questão individual.
 Por este facto, anotou Manteigas, não cabia a uma outra pessoa senão ao próprio António Muchanga explicar as razões que o motivaram a apresentar-se bêbado ao aludido programa televisivo, no passado domingo, onde estavam também representantes das outras duas formações com assento na AR, nomeadamente da Frelimo e o Movimento Democrático de Moçambique.
“Nós destacamos quadros para participar em debates nos mais variados painéis em canais televisivos. Quando a pessoa vai ao programa, de facto, é em representação do partido Renamo. Mas a postura é mesmo do indivíduo.
A Renamo não instrui os seus quadros a beber uma garrafa de whisky e depois ir a um programa de televisão. A atitude do colega foi mesmo a título pessoal. A postura é individual. Pretendendo obter esclarecimentos sobre a razão daquela atitude, querendo, pode contactar o colega António Muchanga. Só ele está em condições de explicar as razões para ter agido daquela forma”, disse José Manteigas.
CartaMz
Loading...

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *