Delegado do MDM espancado na Zambézia suspende mandato na Assembleia Municipal

Uma semana depois de ter sido agredido, na sua residência, por desconhecidos, o Delegado Político do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), no distrito de Alto-Molócuè, província da Zambézia, e vice-Presidente da Mesa da Assembleia Municipal daquela autarquia, André Manuel Txetxema, requereu a suspensão do seu mandato.

Em causa, segundo apurámos, está o estado de saúde do único membro do MDM naquele órgão autárquico, que é descrito como preocupante, não se sabendo quando irá regressar à sua actividade política. Txetxema encontra-se internado numa das camas da Cirurgia II, do Hospital Central de Nampula, a maior unidade sanitária da região norte do país.

Assim, para não criar um “vazio” naquele órgão, composto por 21 membros e que o MDM funciona como fiel da balança numa assembleia dominada pela Frelimo e pela Renamo, André Txetxema decidiu suspender o seu mandato, devendo ser substituído por um outro membro, cujo nome não conseguimos apurar.

Em conversa com a “Carta”, no Hospital Central de Nampula (HCN), Txetxema classificou a sua agressão como resultado de perseguições políticas, originadas por aqueles que considera “inimigos políticos”, que pretendem silenciar a sua voz junto daquela Assembleia Municipal.

Lembre-se que o Delegado Político do MDM, no distrito de Alto-Molócuè, foi decisivo na sessão que chumbou o Plano de Actividades daquela Edilidade, sob gestão da Frelimo, e o seu respectivo Orçamento. Um segundo chumbo em discussão subsequente do plano e orçamento, ainda não realizada, levará à dissolução do Conselho, obrigando a eleições intercalares.  

Fonta: Carta

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *