Organização do evento “Lizha Só Festas” não se fez presente durante o velório da tragédia “1 de Junho”

Foram hoje a enterrar os restos mortais de duas das cinco vítimas mortais da tragédia de 1 de Junho no Aqua Park na Cidade de Maputo. Emoção, dor e luto caracterizaram o último adeus à mãe e filha.

Familiares, amigos, vizinhos e estruturas do governo e Autarquia de Maputo despediram-se de Anita Mbenhane de 24 anos de idade e Dayane Ruco, 6 anos, mãe e filha que morreram quando saiam do Aqua Park, nas celebrações de 1 de Junho. No bairro de Albasine, onde viviam, a chegada das duas urnas comoveu as centenas de pessoas presentes na casa.

No interior da casa, o marido da Nelsa que é também pai da pequena Dayane, era um homem inconsolável. Com lágrimas a escorrerem-lhe o rosto encostava a urna da filha e da esposa chamando-lhes os nomes.

Ninguém conseguia conter a emoção. As mensagens de elogio fúnebre demonstraram revolta com a forma como Anita e Dayan partiram para uma viagem sem volta.

A 1 de Junho de 2013 Anita foi lobolada pelo marido sérgio Ruco e, seis anos depois, precisamente a 1 de Junho, a mulher morre com a filha a pequena Dayane que sonhava em ser professora.

O Governo da Cidade e Município de Maputo esteve representado nestas cerimónias e garantiu assistência.

O “O País” soube de fonte da família Ruco que a organização do evento “Lizha Só Festas” não se fez presente durante o velório e disponibilizou 50 mil meticais, dinheiro que de acordo com a mesma fonte só chegou para adquirir duas urnas, pagar taxas inerentes a funerais no cemitério. Segundo a fonte, o valor disponibilizado não chegou para o transporte das pessoas que acompanhavam a família de casa, no bairro de Albasine até ao cemitério de Michafutene.

Fonte : O País

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *