Electricidade de Moçambique detectou um total de 300 trabalhadores fantasmas

A Electricidade de Moçambique detectou um total de 300 trabalhadores fantasmas, dos três mil de todo o País da instituição, ou seja, em cada 10 funcionários, um não existia na vida real da instituição.

Esta informação foi tornada pública pelo Presidente do Conselho de Administração da EDM, Mateus Magala, que justificou a descoberta pelo facto de estarem em curso um conjunto de reformas, desde o desempenho de cada funcionário, redução de cargos de chefia e realização de concursos internos para efeitos de promoção.

Magala apontou anunciou igualmente estarem em curso reformas profundas. “ Vamos reduzir de 600 chefes para 250 em diversas unidades e 74 para 34 directores. Só para dar um exemplo, em cada província temos um director de finanças e o outro de Recursos Humanos. Podemos apenas reduzir para um”, reforçou.

Desde a entrada de Mateus Magala na EDM, vários postos de direcção tem sidos ocupados por via de concurso público. “A EDM deve ser dirigida por melhores funcionários e a melhor forma de concretizar isso é a realização de concursos para apurar quem efectivamente dá para dirigir a empresa”, disse Magala

[Folha de Maputo]

Adicionar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *