A Polícia da República de Moçambique (PRM) afirma de modo indiscutível que Miro Chilaúle, cidadão crivado de balas, última sexta-feira na Estrada Circular de Maputo, nunca fez parte