Médico Philippe Gagnaux defende reabertura das escolas

O médico Philipe Gagnaux, assumiu este posicionamento numa entrevista recente ao jornal Magazine Independente. Para ele, esta é uma das melhores decisões desde que o Estado de Emergência foi decretado pela primeira vez em Moçambique. “Não há motivo para não abrir as escolas”, afirmou.

Philipe Gagnaux disse que “as crianças e os jovens saudáveis são os que têm, mesmo no mundo inteiro, uma probabilidade zero de morte. As crianças de menos de 10 anos são as que têm maior resistência à Covid-19. Então, porque mantê-los em casa?”, questionou.

Ao Magazine Independente, o médico, que é também muito associado a Juntos pela Cidade (JPC), disse também que o argumento de que podem infectar os mais velhos também não se sustenta, pois crianças e jovens “são os que menos transmitem”.

Apesar de serem em número relativamente maior, os infectados “têm menos possibilidades de desenvolver sintomas graves que a malária ou que outra doença pela qual não nos preocupamos”, argumentou.

Mesmo assim, a fonte do Magazine Independente encontra racionalidade na decisão de, em algum momento, o Governo ter fechado as escolas. “Queríamos travar a propagação da epidemia o tempo necessário para perceber o seu comportamento para permitir manter os serviços de saúde
sem colapsar”, explicou. “Depois de três meses ficou claro que, na nossa conjuntura, a epidemia não explode, não causa sintomas severos nem mortes” acrescentou.

Mesmo em relação às mortes da COVID-19 anunciadas pelas autoridades de Saúde, no país, Gagnuax entende que são em números insignificantes e em pessoas com “patologias adjacentes suficientes para matar sem Covid-19”. Por isso, para ele, não se justifica que medidas de
confinamento perturbem as escolas ou a economia.

Adicionar um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *