“Responsáveis pela dívida pública devem ser responsabilizados” – Representante do FMI em Moçambique

O Fundo Monetário Internacional (FMI) considera ser legítima a posição que vem sendo defendida pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, e demais actores da sociedade, sobre a necessidade de partilha de responsabilidades com os credores das Empresas EMATUM, MAM e PRÓ-ÍNDICUS. O Representante Residente do FMI em Moçambique, Ary Aisen, diz que os responsáveis pelo empréstimo que causou danos ao país devem ser responsabilizados. “A Procuradoria-geral da República já mencionou que pediu apoio de diversos…

"“Responsáveis pela dívida pública devem ser responsabilizados” – Representante do FMI em Moçambique"

“Beatriz Buchili chama o povo moçambicano de burro!”, Nini Satar

Beatriz Buchili é Procuradora- Geral da República, nomeada pelo antigo Presidente da República de Moçambique, Armando Emílio Guebuza. Nos dias 25 e 26 de Abril corrente, Beatriz Buchili, contra todas as expectativas e ansiedade, veio catalogar o povo moçambicano com a blasfémia de povo burro e ignorante! Veio dizer que as únicas pessoas inteligentes, sábias e esclarecidas é ela e a sua cambada cúpula. Sendo todo o povo moçambicano, composto por cerca de 28 milhões…

"“Beatriz Buchili chama o povo moçambicano de burro!”, Nini Satar"

Processo das dívidas ilegais teve nenhum desenvolvimento

Procuradora Geral da República vai informar que o processo das dívidas ilegais teve nenhum desenvolvimento A Procuradora Geral da República (PGR), Beatriz Buchili, deverá revelar nos próximos dias aos moçambicanos que o processo nº 1/PGR/2015, relativo às dívidas ilegais das empresas Proindicus, EMATUM e MAM, teve quase nenhum desenvolvimento desde o seu último Informe à Assembleia da República (AR) e que o relatório integral da Auditoria da Kroll vai continuar no segredo da justiça… quiçá…

"Processo das dívidas ilegais teve nenhum desenvolvimento"

Governo moçambicano pede mais tempo para pagar “dívidas ocultas”

De acordo com a apresentação feita pelo ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, cujo documento tivemos acesso, o Governo explica a necessidade da reestruturação com o argumento de que apesar do ajustamento fiscal empreendido, o serviço da dívida continua um grande fardo para as contas públicas. Como proposta para a renegociação, o governo apresenta como linhas de reestruturação, a redução em 50% das taxas de juro, sobretudo no que diz respeito às facturas, incluindo…

"Governo moçambicano pede mais tempo para pagar “dívidas ocultas”"

Moçambique soluciona empréstimo contraído com banco russo VTB

O governo chegou a um acordo com o banco russo VTB sobre como resolver o problema da dívida que contraiu junto da instituição financeira, anunciou ontem, o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação. O banco VTB emprestou 535 milhões de dólares à empresa pública Mozambique Asset Management (MAM) que, juntamente com a empresa igualmente pública ProIndicus, contraiu em 2013 e 2014 empréstimos com o aval do Estado que foram ocultados tanto do parlamento como dos…

"Moçambique soluciona empréstimo contraído com banco russo VTB"

Análise minuciosa da problemática das dívidas ocultas

Na terça-feira da semana passada, a Procuradoria-Geral da República emitiu e divulgou o Comunicado de Imprensa n0 01/PGR/GC/012.3/2018. Este comunicado trata do problema da dívida pública contraída pelas empresas ProÍndicus, S.A; EMATUM-Empresa Moçambicana de Atum, S.A e MAM-Mozambique Asset Management, S.A, através de financiamento externo, com garantia do Estado, no valor global de 2 biliões e sete milhões de dólares americanos. Não tenho dúvidas de que todo o cidadão moçambicano, quer estivesse a trabalhar, quer…

"Análise minuciosa da problemática das dívidas ocultas"

Revelados mais alguns nomes dos envolvidos nas ” Dívidas Ocultas “

A Procuradoria-Geral da República (PGR) demorou cerca de 2 anos para denunciar ao Tribunal Administrativo (TA) os gestores públicos e das empresas participadas pelos Estado que celebraram e geriram os contratos de financiamento dos empréstimos ilegais (Dívidas Ocultas) da Proindicus, EMATUM e MAM. Alguns desses cidadãos foram identificados há mais de 1 ano pelo @Verdade nomeadamente: Manuel Chang, António Carlos do Rosário, Eugénio Matlaba, Henrique Gamito, Maria Isaltina Lucas, Victor Bernardo e Raúfo Ismael Irá.…

"Revelados mais alguns nomes dos envolvidos nas ” Dívidas Ocultas “"

Moçambique contraiu mais de 200 milhões de dólares em dívida Interna para pagar empréstimos da Proindicus e da EMATUM

O Governo de Filipe Jacinto Nyusi contraiu dívidas internamente para amortizar os empréstimos ilegais da Proindicus e da Empresa Moçambicana de Atum (EMATUM). Foram mais de 199 milhões de dólares que a Direcção Nacional do Tesouro foi buscar ao Banco de Moçambique (BM) e outros 510 milhões de meticais, que o Instituto de Gestão das Participações do Estado contraiu no Banco Nacional de Investimentos. Durante o ano de 2016 o Executivo de Filipe Nyusi contraiu…

"Moçambique contraiu mais de 200 milhões de dólares em dívida Interna para pagar empréstimos da Proindicus e da EMATUM"

António do Rosário escorraça Auditores da Kroll do seu escritório em Maputo

Presidentes das empresas públicas envolvidas nas “dívidas ocultas” diz ser a “Pessoa A” constante do relatório O presidente das três empresas estatais moçambicanas envolvidas nas chamadas “dívidas ocultas”, António do Rosário, confirma ter expulso do seu escritório os auditores da empresa holandesa Kroll por, alegadamente, “quererem detalhes sobre questões da segurança do Estado”. A revelação foi feita nesta sexta-feira, 30 de Junho, pela agência de notícias financeiras Bloomberg que teve acesso a uma carta na…

"António do Rosário escorraça Auditores da Kroll do seu escritório em Maputo"

FMI diz que persistem lacunas de informação no relatório da Kroll

O Fundo Monetário Internacional (FMI) diz que persistem lacunas de informação no relatório divulgado hoje pela Procuradoria-geral da República (PGR). Já a Suécia, financiadora da auditoria, acolhe com satisfação a publicação dos documentos e diz que vão servir para responsabilização. No comunicado de imprensa enviado à nossa redacção, o FMI começa por apontar que a publicação do relatório de auditoria constitui um passo importante para maior transparência relativamente aos empréstimos, que totalizam 2 mil milhões…

"FMI diz que persistem lacunas de informação no relatório da Kroll"