Presidente da Tanzânia diz que prisioneiros devem trabalhar longas horas

O presidente da Tanzânia, John Magufuli, pediu para que os prisioneiros trabalhem longas horas e sejam punidos se forem preguiçosos.

John Magufuli falava na apresentação de um novo chefe de prisões. O presidente foi acusado pelos grupos de direitos humanos de crescente intolerância.

Magufuli perdeu a sua enorme popularidade inicial, quando reprimiu a mídia, tendo como alvo os políticos da oposição e, quando pediu para que as meninas grávidas fossem banidas da escola.

Ele disse que os prisioneiros deveriam cultivar sua própria comida nos campos de prisioneiros. “É uma pena que o país continue a alimentar os prisioneiros. Todas as prisões têm campos, os detentos devem cultivá-los”, disse.

“Alguns funcionários da prisão não têm lares. Faça os prisioneiros trabalharem, deixe-os fazer tijolos dia e noite. Se eles mostrarem preguiça, dê-lhes pontapés. Vocês têm trabalhadores e de graça”, acrescentou.

Magufuli também pediu para que as visitas conjugais fossem interrompidas.

“Um homem está na prisão, deixando sua esposa do lado de fora, e um funcionário da prisão recebe essa mulher e autoriza o prisioneiro a fazer coisas que ele não deveria fazer durante sua detenção. Eu não quero mais ouvir falar disso”, disse.

O presidente disse que o subemprego dos detentos levou ao uso de drogas e à homossexualidade nas prisões. “Eu não quero ouvir sobre isso. Eu quero reformas na gestão das prisões”, afirmou.

O líder, cujo apelido é The Bulldozer, foi acusado por detractores de se tornar cada vez mais autoritário – uma acusação que ele nega.

Folha de Maputo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *