Ali Faque: “Há pessoas que acham que não mereço o espaço que tenho”

Músico albino luta pela inclusão.

Ali Faque foi rejeitado e abandonado na rua pelo pai, por ser albino.Recuperado pela mãe, cresceu, em Nampula, no meio de limitações.

Por via da música, tornou-se popular. Mas continua a enfrentar a discriminação.

“Há pessoas que acham que não mereço o que tenho,” diz.

Hoje é activista pelos direitos dos albinos, no país com registo de atrocidades contra indivíduos como ele.

Acompanhe a conversa com Ali Faque e William Tomás, presidente da Associação de Apoio aos Albinos de Moçambique.

VOA 

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *