Azagaia completa mais um ano de vida hoje

Edson da Luz, mais conhecido pelo nome artístico de Azagaia, é um rapper moçambicano, nascido a 6 de Maio de 1984, no distrito de Namaacha, província de Maputo.

Filho de pai cabo-verdiano e mãe moçambicana, Azagaia começou a escrever ainda criança, inspirando-se na poesia de José Craveirinha. Os seus progenitores separaram-se quando ele tinha apenas 10 anos de idade e, nessa altura, mudou-se para a cidade de Maputo, onde jogou basquetebol nas camadas de formação do Desportivo de Maputo. Contudo, a música falou mais alto e, teve de abandonar o básquete.

Ainda adolescente, entrou no mundo da música, fazendo parte de um grupo de Hip-hop designado Dinastia Bantu, junto do seu amigo Escudo, com o qual gravou o álbum “Siavuma”. No entanto, o seu companheiro seguiu outro rumo profissional e o agrupamento ficou à deriva.

Azagaia continuou a gravar e, a 10 de Novembro de 2007, lançou o seu primeiro álbum a solo, Intitulado “Babalaze”, contendo 15 temas. O disco contou com a participação especial do conceituado rapper português, Valete.

“Babalaze” é um disco de crítica social, considerado bastante polémico, através do qual Azagaia revelou-se como um jovem inconformado com as injustiças sociais no país e com outros problemas que afligem o povo moçambicano.

A 5 de Fevereiro de 2008, aconteceu uma greve em Maputo, e Azagaia recebeu uma intimação. O rapper teve que se apresentar à Procuradoria Geral da República, por causa da música “Povo no Poder”, que debruça sobre a greve. Contudo, não chegou a ser acusado e prosseguiu com o seu trabalho, sem alterar o teor das suas letras.

Em 2009, foi candidato a deputado para a Assembleia da República pelo MDM (Movimento Democrático de Moçambique). Porém, aquele partido não chegou a concorrer pelo círculo eleitoral da província de Maputo, na qual ele estava afecto. Após diversas especulações, o rapper esclareceu que não fazia parte do partido, que era apenas um candidato para a Assembleia da República, como alguém da sociedade civil.

Em 2013, lançou o seu segundo álbum, “Cubaliwa” (que significa “Renascer”, em sena, uma das línguas faladas na zona Centro de Moçambique).

A 11 de Junho de 2014, Azagaia criou uma polémica. Tudo aconteceu no programa Atracções, da Televisão Miramar, onde tinha ido dar explicações sobre a sua detenção, no dia anterior, por porte e consumo de drogas. Durante o programa, ele preparou a suruma (cannabis sativa) para fumar em directo, mas a emissão foi interrompida. O rapper explicou que a suruma era parte do tratamento tradicional, que estava a fazer.

No entanto, Azagaia foi fortemente criticado na praça pública, e inclusive o apresentador do programa, Fred Jossias, fora despedido. Refira-se que a posse e o consumo de drogas é ilegal em Moçambique.

No mês seguinte, o cantor sofreu um forte ataque epiléptico e começou a demonstrar um comportamento estranho à sua personalidade, como estados de confusão mental e de perda de memória. Exames médicos confirmaram um tumor cerebral.

Caso não fosse operado com urgência, o cantor poderia falecer dentro de um ano. Foi aconselhado a realizar o tratamento na Índia. Contudo, eram necessários 780 mil meticais, que o cantor e a família não os tinham.

O artista pediu apoio aos fãs. Foi lançado, nas redes sociais, a campanha “Help Azagaia” (“Ajuda Azagaia”), com um número de conta para a recolha de donativos.

A campanha envolveu gente de várias partes do mundo e foi bem-sucedida. Arrecadou-se os 780 mil meticais pretendidos, aliás, até conseguiu-se um pouco mais. Em Outubro do mesmo ano, Azagaia viajou para Nova Deli, na Índia, onde foi operado com sucesso. Após a recuperação, o rapper voltou aos estúdios. A 30 de Março, dois dias antes do show que marcou o seu regressou aos palcos, disponibilizou uma música, com o título “Renascer”, onde agradece à todos que o ajudaram a reerguer-se.

Para além de rapper, Azagaia é actor, tendo já participado de três curtas-metragens: “Mahala”, onde contracena com Mário Mabjaia; “Traídos Pela Traição”, onde actuou ao lado da actriz Gigliola Zakara, e “Venenos do Amor”.

Azagaia vive maritalmente com a mãe das suas duas filhas. É um dos rappers mais respeitados do país, e também dos mais censurados. As suas músicas (quase) não passam nos canais públicos. Ele sonha com um Moçambique, onde o Governo consulta mais a sociedade antes de aprovar as leis, um país com níveis de corrupção atenuados e um Estado que paga melhores salários aos seus funcionários e agentes.

Azagaia completa hoje 34 anos de idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *