Nini Satar chama Procuradoria-Geral da República de “Teatro Municipal”

Teatro Municipal PGR

A Procuradoria-Geral da República (PGR) há muito que virou uma casa de espectáculos. Com destaque para o teatro. Só que prima por peças de péssima qualidade. Os encenadores e os próprios actores são básicos. Não entendem nada desta nobre arte. 
Até parece que nunca viram o Gungu.
Cada vez que exibem uma peça é para vomitar. É um vómito colectivo. Para provocar enxurradas na Avenida 25 de Setembro e, porque não, em todo o país. O país todo, por causa da PGR, cheira a merda.

Agora encenaram outra peça de péssima qualidade de que vão processar o Conselho Municipal de Maputo pela tragédia de Hulene. Até o boi já não dorme com estas mediocridades da PGR. Isto é fantasioso. É parido por mentes doentias.

Desde quando é que a PGR processa os seus patrões? Os que nos roubaram os dois biliões de dólares estão a onde?
A PGR tem nomes e endereços de casa de cada um os que roubaram mais de 2 bilhões de dolares.
Para quê ter muitos processos se nem um conseguem resolver? Qual é o gatuno que a PGR mandou prender?
Os que prende são soltos logo pelo juiz de instrução.
Porque o processo foi mal instruído ou porque a PGR queria amostrar trabalho.

Se as encenadoras dessas peças teatrais continuarem a ser aquelas miúdas, Beatriz Buchili e Amélia Machava, o teatro da PGR será sempre de péssimo gosto. Mesmo mahala não dá para assistir. Por isso que sempre tem a sala vazia. Os que se limitam a ver essas porcarias são os lambe-botas de sempre.

Eu, Nini Satar, juro palavra de honra. Se a PGR processar a edilidade de Maputo e tal processo for consequente (haver responsabilização criminal dos implicados), eu Nini Satar nunca volto a escrever sobre a podridão na PGR.
Promessa de um escoteiro.

Nini Satar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *