Derrota da Frelimo: Carta aberta ao Presidente Filipe Nyusi (15)

Presidente: esta é a décima quinta carta que lhe escrevo. A minha insistência deve-se ao facto de nunca ter visto satisfeitos os meus anseios, aliás, as do povo no geral. Elegi hoje escrever-lhe sobre a justiça que o nosso país não tem. Falar de justiça, em Moçambique, é falar do vazio. E não se esqueça, Presidente, que um país sem justiça é um país sem tudo.

Se chego até ao extremo de me dirigir ao alto magistrado da nação é porque esgotei todas as minhas tentativas de chamar à razão a Procuradoria-Geral da República (PGR). Presidente, o senhor já fez mais do que metade do seu mandato e aquilo que nos prometeu fica por isso mesmo. Que orgulho tem o Presidente de dirigir um país onde a injustiça é omnipresente?

Que orgulho tem o Presidente de ter uma Procuradoria-Geral da República que nunca resolveu as injustiças pelo que o povo passa? Ou seja, se a PGR segue um processo até as últimas consequências é porque está relacionado com um pilha-galinhas, um Zé ninguém….a vítima é sistematicamente a mesma: o povo.

Que explicações a PGR deu até aqui sobre o assassinato do edil de Nampula, Mahamudo Amurane? Peguei este exemplo porque não adianta recuarmos para os assassinatos de Giles Cistac, Paulo Machava, Jeremias Pondeca e tantos outros abatidos como cães à luz do dia e na cidade capital.

Duvido muito que a PGR não conhece os assassinos. Aliás, mais do que uma vez a PGR provou que ela é que comanda os esquadrões da morte. O que dizer quando é a própria PGR que mandou retirar das celas do Comando José Ali Coutinho e Alfredo Muchanga para serem abatidos como cães? Aliás, a PGR até foi a primeira e a única a emitir um comunicado falacioso de que foram resgatados pelos seus comparsas. Donde é que tirou essa conclusão? Que investigação fez? Tudo isto era para tirar areia aos olhos do povo. Era para proteger os assassinos que comanda, apelidados de esquadrões de morte.

Presidente: o senhor não se questiona o facto de até aqui a PGR não ter solucionado nenhum crime? O que o Presidente julga que o povo pensa ao constatar que a PGR não quer, por nada, responsabilizar os autores das dívidas ocultas? O Presidente já falou sobre este assunto abertamente com o seu patrão, o povo, para saber o que pensa?

Presidente: o povo não é burro. Pode estar a ser imbecilizado mas não é lerdo. O povo sabe que se o Presidente ordenar, o processo sobre as dívidas ocultas pode ser esclarecido. Esse discurso de que o poder Judicial é independente é para boi dormir. Em Moçambique o poder Executivo sobrepõe-se aos demais. O Presidente é que manda. Se não fosse assim, até não teríamos tido esse problema do rombo de dois biliões de dólares que arrastou o país para a miséria.

O povo, em surdina, condena-lhe, senhor Presidente. O povo acha que o senhor não quer que o processo sobre as dívidas ocultas seja esclarecido porque também está implicado. E, analisando o que até aqui se produziu, o povo tem razão. Este processo está encalhado porque a Frelimo não quer que avance. E quem é o presidente da Frelimo?

Se o senhor Presidente quer ver o assunto esclarecido, então exija isso da PGR. Obrigue-a a trabalhar. Ou então demita todos em bloco. Desde Beatriz Buchili até aos Procuradores-adjuntos. Estão a receber salários chorudos sem trabalhar. Demita-os. Refresque as fileiras. O povo, o seu patrão, verá, enfim, que o seu empregado está realmente a trabalhar.

O que até aqui tem acontecido é que o empregado despreza as ordens do seu patrão. Aliás, nem são ordem. É o choramingar do patrão enquanto o empregado lambuza-se com os que delapidaram a pátria. Que empregado é esse que é inamovível?

Que empregado é esse que não respeita as regras contratuais? Quer ou não trabalhar? Esqueceu que são muitos que concorrem para o mesmo cargo? Outros até ameaçam-nos com armas só para ter esse cargo. O empregado tem que mostrar serviço. Garantir o seu pão. E não embrulhar o seu patrão.

Senhor Presidente: faça uma visita repentina à PGR, como as que Samora Machel fazia nas suas ofensivas, e verá que a Beatriz Buchili e as suas colegas só estão lá sentadas, a pintar unhas, a pôr a fofoca em dia, a beber água mineral e café que o Estado providencia.

Não se esqueça senhor Presidente que 2019 é ano de eleições gerais. O senhor irá sentar na nossa esteira novamente, vai comer o nosso peixe seco com xima, irá nos oferecer aquelas camisetas que só com uma única lavagem não resistem, capulanas. Com que cara o senhor irá nos olhar e pedir voto depois de não ter cumprido as suas promessas? O senhor Presidente nem consegue acabar com a farra na PGR.

Queremos um país com justiça
E não com uma justiça podre.

PS. A fechar esta carta acabo de ler que a Renamo está a ganhar com uma margem de 58% nas eleições intercalares em Nampula
Senhor presidente já pensou isto se acontecer Nas eleições Presidenciais??
Uma vergonha total!!!!

Nini Satar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *