MAIS de duas dezenas de baleias piloto morreram, quarta-feira, após terem dado à costa em duas praias da ilha cabo-verdiana do Maio, por causas ainda desconhecidas
BIZARRO

Mais de 20 baleias encontradas mortas em Cabo Verde

MAIS de duas dezenas de baleias piloto morreram, quarta-feira, após terem dado à costa em duas praias da ilha cabo-verdiana do Maio, por causas ainda desconhecidas.

Uma fonte da Fundação Maio Biodiversidade (FMB) assinalou que este constitui mais um desastre ambiental que, segundo autoridades da área, se vem repetindo quase todos os anos no arquipélago cabo-verdiano por esta altura do ano.
Em declaração à imprensa, a bióloga marinha da FMB, Sara Ratão, esclareceu que, em casos semelhantes, são geralmente apontadas causas as migrações ou o encalhe do líder do grupo, que arrasta outros cetáceos.

No entanto, ela precisou que outras possíveis causas de mais este desastre ambiental ainda são desconhecidas.

Sara Ratão informou que as 26 baleias piloto, uma espécie semelhante aos golfinhos, deram à costa quarta-feira última à tarde, em Porto Cais e Praia Farol, no norte da ilha do Maio, e que,   quando as equipas da FMB se deslocaram ao local, encontraram esses animais marinhos já mortos.

A bióloga indicou que as baleias que pereceram são na sua maioria adultas, com cinco metros de comprimento máximo, excepto uma cria.

Ele avançou ainda que as baleias mortas serão enterradas de imediato nas imediações para evitar que sejam consumidas pelas pessoas.

Sara Ratão reconheceu que é difícil evitar o encalhe de baleias nas praias cabo-verdianas, pedindo às pessoas para contactarem de imediato as instituições locais quando tal acontecer, uma vez que, frisou, em alguns casos, ainda podem ser desenvolvidos esforços para devolver os cetáceos ao mar com vida.

A FMB é uma Organização Não Governamental (ONG) criada em 2010 com a finalidade de proteger a fauna e a flora da ilha e criar oportunidades e benefícios a longo prazo para a população local,

(PANA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *