Entenda o esquema de corrupção na LAM com ramificações em S. Tomé e Príncipe

O Ministério Público de São-Tomé e Príncipe iniciou a investigação de uma alegada empresa são-tomense envolvida num esquema de corrupção na compra de aviões da Embraer pela empresa Linhas Aéreas de Moçambique, LAM, – divulgou quinta-feira a TVS citando fontes judiciais.

Segundo a televisão são-tomense, as investigações iniciaram a pedido do Ministério Público de Moçambique através da carta rogatória as instâncias judiciais do arquipélago solicitando diligências tendo em conta o carácter transnacional do processo que já resultou em detenção dos envolvidos.

A  alegada empresa são-tomense, alvo da investigação judicial, é citada no caso como uma das ramificações do esquema de corrupção da moçambicana LAM, como resultado da necessidade de abertura de uma conta bancária fora de Moçambique para garantir as transferências dos valores no âmbito do negócio da venda de aviões. O Ministério Público também tenta apurar sobre o envolvimento de cidadãos santomenses nesse esquema. Entretanto, presume-se que um escritório de advogados tenha fornecido apoio jurídico e serviços diversos à referida empresa.

Além do grupo são-tomense, a alegada máfia com sede em Moçambique, dispõe ainda de ramificações nos Estados Unidos, Brasil e Portugal de acordo com Ministério Público de Moçambique que já emitiu as respectivas cartas rogatórias às entidades judiciais dos supracitados Países.

Assista aos vídeos.

Fonte: Interlusofona

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *