Vereadores e chefes de postos exonerados por Tocova retomam funções em Nampula

0
136
Os dez vereadores e seis chefes de postos administrativos exonerados em Outubro por Tocova, retomaram hoje, às suas funções por decisão judicial.
Os dez vereadores e seis chefes de postos administrativos exonerados em Outubro por Tocova, retomaram hoje, às suas funções por decisão judicial.

Os dez vereadores e seis chefes de postos administrativos exonerados em Outubro deste ano no município de Nampula, norte de Moçambique, pelo autarca interino, retomaram hoje, segunda-feira (06), às suas funções por decisão judicial.

O presidente do município, Mahamudo Amurane, eleito pelo Movimento Democrático de Moçambique (MDM), foi assassinado à queima-roupa a 04 de Outubro e o presidente interino, Manuel Tocova, do mesmo partido, procedeu às substituições.

Manuel Tocova nomeou novos dirigentes municipais, incluindo alguns que tinham sido demitidos por Mahamudo Amurane por alegada corrupção.

A antiga chefe do gabinete de Mahamudo Amurane, Maria Moreno, anunciou que os vereadores e chefes de postos administrativos exonerados vão voltar aos seus lugares pelo facto do Tribunal Administrativo da Província de Nampula ter considerado o seu afastamento ilegal. “Devemos cumprir a lei e devemos trabalhar até que um outro conselho municipal seja legalmente empossado”, armou Maria Moreno, citada pela Agência de Informação de Moçambique (AIM).

Na sequência das nomeações, o edil interino foi condenado a três meses de prisão com pena suspensa por desobediência, depois de se ter recusado a fornecer à Procuradoria da Província de Nampula documentação relacionada com as exonerações e nomeações dos dirigentes municipais.

 Apesar de não se ter desvinculado formalmente do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), terceiro maior partido moçambicano, Mahamudo Amurane mantinha divergências públicas com a direcção da organização, chegando a acusar o seu presidente, Daviz Simando, de ditador.

Mahamudo Amurane já tinha descartado o apoio do MDM para a sua recandidatura a presidente da autarquia de Nampula nas eleições de 2018. Na semana passada, o ministro da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Isaac Chande, disse na Assembleia da República que seis pessoas foram constituídas arguidas em relação ao homicídio de Mahamudo Amurane.

Magazineindependente

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here