Um homem brasileiro, de ascendência africana, foi barrado à porta de um bar em Curitiba, no Brasil, por ser demasiado parecido com os seguranças.
Internacional

Advogado é barrado em bar por ser negro e parecido com os seguranças

Um homem brasileiro, de ascendência africana, foi barrado à porta de um bar em Curitiba, no Brasil, por ser demasiado parecido com os seguranças.

Numa publicação no Facebook, o advogado expôs a situação por que passou e relatou o que considera um acto discriminatório. A publicação acabou por se tornar viral e por expor o que Juliano Trevisan diz ser um preconceito.

O homem de 27 anos foi impedido de entrar no James Bar por dois funcionários, que justificaram a proibição dizendo que “com a roupa que estava a usar, gravata preta e tal, poderia ser confundido com segurança lá dentro”.

No seu perfil na rede social, o visado fez a denúncia através de uma carta aberta. “Sinto-me humilhado. Olhei mil vezes para a minha roupa até perceber que o problema não é a minha roupa, não é o meu estilo, não sou eu”, escreveu na publicação, que alcançou mais de nove mil gostos e mil partilhas.

“Preciso de expor esta situação, de demonstrar quão grave é e o que representa nos dias de hoje. Para que um problema seja resolvido, primeiro tem de ser apontado”, explicou Juliano Trevisan, que recebeu desde então centenas de mensagens de apoio.

Fonte: Folha de Maputo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *