Bastonário da Ordem dos Advogados defende o “burlador” do caso “Banco Chinês”

O advogado do réu e por sinal bastonário da Ordem dos Advogados, Flávio Menete, pretende que as sessões de julgamento que iniciou esta sexta-feira em que, no banco está a Associação Financeira que funcionava ilegalmente na cidade de Maputo, vulgo “Banco Chinês ”, não sejam presenciadas pela imprensa.

Entretanto pesam sobre os acusados os crimes de branqueamento de capitais e burla por defraudação.

chines
Pessoas burladas

O Tribunal Judicial da Cidade de Maputo, constituiu arguidos, 7 indivíduos, todos, antigos funcionários da Associação de Crédito, Ajuda Mútua, conhecida por Banco Chines. Para angariar maior número de clientes o Banco pagava 30 % de juros, em depósitos de valores, no mínimo de 20 mil meticais.chines

Nesta terça-feira o Juiz João Guilherme ouviu 3 dos 7 acusados. 2 foram ouvidos na semana passada e outros 2, tem a sua sessão de audição marcada para o dia 16 de Junho próximo.

TVM

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *