SAÚDE

MÉDICO CHINÊS DIZ QUE SERÁ POSSIVEL REALIZAR TRANSPLANTE DE CABEÇA HUMANA

Recentemente, o mundo ficou fascinado e ao mesmo tempo apavorado após um médico-cirurgião italiano, Dr. Sergio Canavero, afirmar que iria realizar o primeiro transplante de cabeça humana no mundo. Agora, um cirurgião chinês, Dr. Ren Xiaoping, disse que também tem planos para realizar o mesmo procedimento, considerado extremamente difícil e de alto risco.
Durante a entrevista ao The New York Times (NYT), o médico explicou que no momento está preparando uma equipe a fim de dar prosseguimento ao seu plano, que será realizado, segundo ele, quando ela “estiver pronta”.
O plano em questão, de acordo com a IFLScience, envolve cortar duas cabeças, de um doador falecido e de uma pessoa viva e, em seguida, conectar os vasos sanguíneos do corpo morto com a cabeça do paciente vivo. A equipe também planeja inserir uma placa de metal para estabilizar o pescoço, e, depois, mergulhar as terminações nervosas da medula espinhal em uma substância específica para incentivá-las a se conectarem.
Dr. Ren Xiaoping, à direita.
Sarcasticamente apelidado de Dr. Frankenstein pela imprensa, Dr. Xiaoping ficou mais destacado no início deste ano, depois de afirmar ter realizado o mesmo transplante em um macaco. No experimento, o primata conseguiu sobreviver por 20 horas, antes de ser sacrificado por razões éticas.
De acordo com o relatório publicado pelo NYT, várias pessoas na China já se ofereceram para o transplante, incluído um senhor de 62 anos de idade, Wang Huanming, que ficou paralítico do pescoço para baixo, há seis anos.
O plano, no entanto, ainda precisa superar uma série de obstáculos, e obviamente, já recebeu um elevado numero de críticas, entre elas, a de médicos, que questionam se o procedimento é cientificamente possível. Segundo eles, seria necessário reconectar os neurônios na coluna vertebral, algo que parece improvável, apesar dos avanços recentes feitos nesta área da biomedicina.
As preocupações éticas, que já correm desde o anúncio do Dr. Canavaro, falam sobre a capacidade de um cérebro se integrar com sinais, percepções e informações de um novo corpo, diferente do qual estava familiarizado. Eu acho que o resultado mais provável é loucura ou deficiência mental grave”, disse Arthur Caplan, chefe de ética médica na Universidade de Nova York, em um artigo para a revista Forbes. Na imagem de capa, fotos de ratos que sofrerem transplantes de cabeça realizados pelo Dr. Ren Xiaoping na Universidade Médica de Harbin. 

FONTE: Jornalciência

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *